Back to Top
site 7132   hyhy

 Numa tentativa de reduzir os gastos, o Governo do Estado do Rio Grande do Sul vem anunciando uma série de cortes e fechamentos de fundações, como é o caso da Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional (Metroplan). A extinção desta fundação, em especial, preocupa Alzir Aluisio Bach, presidente do Conselho Regional de Desenvolvimento do Vale do Caí (Codevarc). O motivo para a preocupação diz respeito ao Projeto de Minimização das Cheias do Rio Caí.


 O projeto encontra-se em tramitação junto ao Ministério das Cidades, na Capital Federal, atrelado à Metroplan. Com o fechamento da fundação, Alzir acredita que possa, ocorrer entraves do andamento do processo. “É uma questão que nos preocupa. Esperamos que esse hiato não prejudique o fluxo do projeto que está em andamento no Ministério das Cidades”, comenta.

 

 Contudo, Alzir diz que já existe uma alternativa apontada como possível solução para o caso. “Em uma reunião técnica que tivemos com o Ministério das Cidades, houve a sugestão que os municípios, através do Consórcio Cis/Caí, absorvam esse projeto junto ao Governo Federal. É uma alternativa, mas, não quer dizer que será colocada em prática”, comenta.

 

 O presidente do Conselho Regional lembra que, para que em 2018 o fluxo do projeto no Ministério das Cidades ocorra de forma normal, essa discussão deve ser resolvida até o final do ano. “Tecnicamente o projeto está aprovado junto ao Ministério das Cidades, falta agora a batalha pelo recurso”, conclui.


Este texto é uma continuação do artigo “100 anos do Milagre do Sol”. Para ler a primeira parte, clique em:


100 ANOS DO MILAGRE DO SOL


O significado do Milagre do Sol


Para o povo mais simples, o milagre se resume em bem menos palavras. Simplesmente, “o sol dançou”. Mais do que descrever fisicamente o fenômeno, o que interessava à maioria das pessoas era o que não se podia ver, mas que ficara patente por aquela portentosa obra que eles tinham diante dos olhos: Nossa Senhora verdadeiramente apareceu a três humildes pastorinhos em Fátima.

 

A Lúcia, Jacinta e Francisco, de fato, foi dada uma visão bem mais abrangente da realidade. Eles declararam sobre a Virgem Maria:


“…abrindo as mãos, fê-las refletir no sol. E enquanto que se elevava, continuava o reflexo da Sua própria luz a projetar-se no sol (…) Desaparecida Nossa Senhora, na imensa distância do firmamento, vimos, ao lado do sol, São José com o Menino e Nossa Senhora vestida de branco, com um manto azul”.


Na última aparição da Virgem de Fátima, portanto, brilha perante os videntes a imagem da Sagrada Família de Nazaré!


Esse fato pode indicar que “o confronto final entre o Senhor e o reino de Satanás dirá respeito diretamente à família e ao matrimônio”. Quando o caminho ordinário de santificação da humanidade, que é o casamento, se encontra obstruído pela produção desenfreada da pornografia e pela popularização dos “pecados da carne” (que, segundo resposta da própria Virgem Maria à pequena Jacinta, constituem a classe de pecados que mais ofende a Deus), o resultado só pode ser uma perda incalculável de almas (realidade a que a Mãe de Deus já tinha aludido, quando deu às mesmas crianças a visão do inferno).


Naquele 13 de outubro, a Virgem Santíssima tinha um pedido especial, que ficaria gravado no coração dos pastorinhos:


“Não ofendam mais a Deus Nosso Senhor, que já está muito ofendido”.


Aos observadores mundanos, tal recado poderia parecer “arcaico” ou “irrealista”: um “espírito” que vem dos céus para falar de “pecado”? Em que século a autora dessas aparições acha que estamos? Pois bem, é justamente no século XX que Nossa Senhora aparece, e é a mesma mensagem de dois mil anos atrás que ela carrega consigo: “Fazei tudo o que Ele vos disser” (Jo 2, 5).


Acontece que os tempos mudaram, sim, mas o ser humano continua o mesmo. E os perigos que rondavam a humanidade na época de Cristo não mudaram. Para ser católico e seguir Jesus, nada mais elementar que o apelo de Fátima: “Não ofendam mais a Deus Nosso Senhor”.


O Milagre do Sol não apenas confirmou as aparições de Maria em Fátima: ele também visa realizar um milagre muito maior e mais extraordinário que qualquer outro: a salvação das almas, a conversão dos pecadores; “para que todos acreditem” em Jesus e, acreditando, tenham a vida eterna.(Aleteia)

Segunda, 16 Outubro 2017 19:54

Por que tenho tanto medo de dizer o que eu penso?

Escrito por

Creio que, às vezes, a opinião dos outros importa muito para mim. Para o psicólogo Solomon Asch, “a conformidade é o processo por meio do qual os membros de um grupo social mudam seus pensamentos, decisões e comportamentos para se ajustar à opinião da maioria.”


Em 1951, Asch realizou estudos de conformidade com o grupo com estudantes de várias classes. Na pesquisa, demonstrou-se o poder que o grupo tem para condicionar as respostas dos estudantes. Diante de uma verdade evidente, eles optavam por aquilo que a maioria dizia. Mesmo que a resposta não fosse correta.
A pressão da sociedade parece um obstáculo insuperável. Eu padeço da síndrome de Solomon; tomo decisões e adoto comportamentos para evitar me sobressair ou me destacar dentro de um grupo. Às vezes, me nego a sair do caminho trilhado pela maioria.


Não quero chamar a atenção, não quero me destacar. De forma inconsciente, temo me sobressair em excesso por medo de que minhas virtudes e sucessos ofendam os outros. Ou por medo de ser criticado se eu fracassar ou algo der errado.


Essa atitude é um manifesto do lado obscuro da minha condição humana. Revela minha falta de autoestima e de confiança em mim mesmo. Acabo pensando que meu valor como pessoa depende do quanto os outros me valorizam.


Ao ler sobre essa síndrome, pensei nas vezes em que deixei de fazer alguma coisa por medo de chamar a atenção. Calo a minha opinião, oprimo minha força e consinto com os que impõem seus juízos. No fim, me adapto e digo que penso o que os outros pensam, embora não seja verdade o que eles dizem.


Eu vejo que a realidade não é como os outros mostram, mas acabo assumindo como verdadeiro o que me parece falso. É o medo de ficar fora do grupo, de um entorno que protege, dos amigos que cuidam de mim. O medo de expor em público, o medo das críticas, das acusações e difamações. A opinião dos outros sobre o mim me importa muito. E eu me protejo. Por isso, não quero chamar a atenção. Escondo-me no mais profundo da massa.


Dizia P. Kentenich: “uma olhada na vida atual mostra como é difícil encontrar homens verdadeiramente livres nos diversos setores da população. A maioria são vis escravos e covardes, massificados, pessoas para quem a verdade já não é mais a adequação do entendimento ao objeto, mas a adaptação do entendimento com o apetite sensitivo”.


Assumo como verdade o que não é verdade. E o proclamo como minha bandeira, para que não me excluam do grupo que me protege. Deixo, então, de dar o que tenho. Por medo. Deixo de dizer o que penso para não destoar. Deixo de fazer o que quero para fazer o que os outros esperam que eu faça. Deixo de falar. Meu silêncio me acusa. Deixo de olhar e me escondo. Deixo de caminhar e me detenho.

Tenho medo que os outros me julguem. Não quero a reprovação. Não quero que me deixem sozinho. Não quero a crítica nem o juízo. É fácil criticar e condenar o que não pensa como eu. É fácil acabar com sua fama e denegri-lo. Isso é o que me dá medo.


Dizia o Papa Francisco: “A necessidade de falar mal do outro indica uma baixa autoestima, ou seja, eu me sinto tão em baixo que, em vez de subir, abaixo o outro. É saudável esquecer rápido o negativo”.


A crítica surge de um coração imaturo, insatisfeito, sem paz, que se sente inferior. Nasce de um coração ferido. E há muitos corações assim. Vejo que isso também acontece comigo quando critico, quando julgo e condeno para que eu fique por cima.


Quero que os outros se adaptem ao que eu penso. Ajam como eu. Estejam onde eu estiver e sigam os meus passos. Pretendo exigir que os outros o façam, claro, com liberdade. Que digam que são livres, mesmo isso não seja verdade. Não me pergunto o que eles querem fazer de verdade, o que pensam, em que acreditam.
Talvez seja minha baixa autoestima que manda em minhas decisões. Não quero que saibam e conheçam meu coração tão frágil. Não quero que vejam minha fraqueza. Talvez seja esse medo do ridículo que me paralisa. O medo de seguir caminhos solitários.


E se tenho que dizer o que penso? Não sei. Me dá medo esse valor exagerado, que pode ter consequências desagradáveis para mim. Não quero ter medo de dizer o que penso e sinto. Mas tenho. Quero falar sobre o que acredito. Da fé que move minha vida. Se o medo de travar, não serei eternamente livre, plenamente homem. ( Aleteia)

 O papa Francisco canonizou neste domingo (15/10) os 30 "mártires do Rio Grande do Norte", considerados os primeiros mártires do Brasil, assassinados em 1645. Na cerimônia realizada na praça de São Pedro, no Vaticano, o pontífice também proclamou santos os três "meninos mártires de Tlaxcala", do México, assassinados entre 1527 e 1529.


 Como é habitual, Francisco usou a fórmula em latim para proclamar a santidade e pedir que os nomes fossem inscritos nos livros dos santos da Igreja. Durante a cerimônia também foram canonizados o sacerdote espanhol Faustino Míguez (1831-1925), fundador do Instituto Calasancio Filhas da Divina Pastora, e o capuchinho italiano Angelo da Acri.

 

 O grupo de santos brasileiros são considerados os primeiros mártires do país e foram encabeçados pelos sacerdotes Andrés de Soveral, Ambrósio Francisco Ferro e o laico Mateus Moreira, além de outros 27 companheiros assassinados entre 16 de julho e 3 de outubro de 1645 pelos protestantes calvinistas holandeses instalados no Brasil naquela época.


 Conhecido como massacre de Cunhaú e Uruaçu, o episódio aconteceu no Rio Grande do Norte durante o período da domínio holandês na região. Os holandeses – que eram calvinistas – não admitiam a prática do catolicismo nos territórios por eles invadidos. O papa João Paulo 2º os beatificou em 5 de março de 2000, na Basílica de São Pedro.

 

Meninos indígenas mexicanos


 A cerimônia começou com o prefeito da Congregação para a Causa dos Santos, o cardeal Angelo Amato, que, acompanhado dos postuladores das causas, apresentou a Francisco a petição de canonização e leu uma pequena biografia de cada um.


 Depois, o papa pronunciou a fórmula em latim: "Após ter reflexionado largamente e invocado a ajuda divina, e escutando o parecer de muitos dos nossos irmãos bispos, declaramos santos os beatos [...] e os inscrevemos no Catálogo dos Santos, e estabelecemos que em toda a Igreja sejam devotamente honrados entre os santos." Depois, as relíquias dos novos santos foram levadas ao altar.


 Para a cerimônia compareceram centenas de mexicanos de Tlaxcala e uma ampla delegação religiosa liderada pelo bispo da diocese, Julio C. Salcedo Aquino, e os cardeais José Francisco Robles Ortega e Alberto Suárez Inda.


 Os meninos indígenas santos são Cristóbal, Juan e Antonio, que tinham entre 12 e 13 anos e foram assassinados entre 1527 e 1529, ao terem se convertido ao cristianismo, e que serão agora os padroeiros da infância mexicana. Os três meninos foram beatificados em 6 de maio de 1990 na basílica de Guadalupe por João Paulo 2º.

 

Fonte:DW.com

 Uma antiga reivindicação da comunidade de Despique, localidade do interior no município de Pareci Novo, está tomando forma. A construção da ponte está sendo viabilizada por meio de recurso do Ministério da Integração Nacional, via Defesa Civil. A liberação de R$ 259.200,00 foi efetivada por meio de um projeto encaminhado ao ministério em janeiro deste ano.


 Segundo o Prefeito Municipal Oregino José Francisco a obra dará solução definitiva ao frequente problema das inundações que deixava inúmeras famílias isoladas.

 

Informações/foto:Holic Comunicação

 O problema começou no mês de agosto e no dia 27 de setembro foi noticiado no portal JP News. Passados dois meses do início do problema, a dona do restaurante Sabor da Casa, Regina Rosete de Mello, ainda aguarda providências por parte da Administração Pública local.


 Um bueiro entupido é apontado como a causa do vazamento do esgoto. A situação incomodaria qualquer cidadão, mas nesse caso também afeta os negócios da empresa de alimentação localizada junto ao foco do problema, na Rua Capitão Cruz, Centro de Montenegro.

 

 A proprietária do restaurante relata que vários clientes já reclamaram do mau cheiro causado pelo líquido acumulado em frente ao prédio. E o que é pior, algumas pessoas deixaram de frequentar o ambiente por sentirem náuseas ao respirar o odor.

 

 A empresária entrou em contato com a prefeitura municipal e uma equipe foi encaminhada para resolver a situação, mas, apresar dos esforços, não foi obtido o resultado esperado. “Fizeram um buraco e trocaram um cano, só que continuou o mesmo problema. No dia seguinte retornei a ligar para a prefeitura e me falaram que tinha muito serviço na frente e não poderiam me atender naquele momento”, conta Regina.


 Cerca de uma semana após a tentativa por telefone, a comerciante registrou um protocolo na prefeitura, mas novamente recebeu a informação de que não poderia ser atendida naquele momento. Na primeira quinzena de outubro, Regina esteve reunida com o prefeito do município. Segundo ela, este disse que o conserto seria providenciado nos próximos dias, mas até o momento, a cidadã ainda aguarda.

 

 A comerciante espera que o atraso para verificação do problema tenha ocorrido em função do período de chuvas e que com a melhoria do tempo a equipe da prefeitura consiga resolver de vez a situação.

 

 A reportagem aguarda a posição da prefeitura sobre o assunto.

Segunda, 16 Outubro 2017 17:27

Vem aí a 1ª Semana Gospel de Montenegro

Escrito por

 De 25 a 31 de outubro acontece a 1ª Semana Gospel de Montenegro. Conforme o evangelista e Vereador Juarez Silva, autor da lei que institui a Semana Gospel, a iniciativa tem como objetivo promover o fortalecimento e a união da população local.


 A abertura oficial da Semana Gospel ocorrerá no dia 25, às 19h, na Câmara Municipal de Vereadores de Montenegro. O ato será marcado pelas participações do Pastor Rubens, do grupo de Louvor e de coreografia da Marcha para Jesus, além da apresentação da Orquestra Acordes de Sião.

 

 No dia 26, às 18h, será realizada sessão solene da Igreja Luterana. Ainda na Câmara de Vereadores, desta vez no dia 27, será realizada palestra com enfoque nos temas Família e Drogas, o evento acontece às 19h.

 

 Nos dias 28,  29 e 30 ocorrem ainda diversas atividades descentralizadas. Já no encerramento, dia 30, às 10h, será promovido Culto da Ressurreição e logo após passeio ciclístico. Às 15h30min acontece a Marcha para Jesus, com saída da Praça dos Ferroviários até o Parque Centenário. No Parque será feito o culto de encerramento da Semana Gospel.

 

Foto:ACOM/Câmara de Veraedores de Montenegro

 Integrando as ações alusivas ao Outubro Rosa, mês dedicado à conscientização e prevenção do câncer de mana, o Grupo de Educação Continuada do Hospital Montenegro (Gecon) promove, até o dia 30 deste mês, duas campanhas: uma de doação de mechas de cabelos e outra de lenços. A campanha intitulada “Atitude Rosa” envolve toda a comunidade.


 No ano passado a iniciativa arrecadou 30 mechas de cabelos, 1 peruca e 135 lenços. O material foi doado ao Instituto da Mama do Rio Grande do Sul (IMAMA). As madeixas são transformadas em perucas destinadas ao empréstimo para as pacientes em tratamento de câncer.

 

 Conforme Sílvia Neu, analista de treinamentos do HM, este ano, novamente, todo o material arrecadado será entregue ao IMAMA. Quem quiser contribuir pode procurar um profissional cabelereiro de sua confiança, efetuar o corte e entregar a mecha na recepção do hospital. Segundo ela, para melhor ser aproveitado, o ideal é que o comprimento do cabelo tenha em média 20 cm, mas tamanhos menores também são aceitos.

 

 Já em relação aos lenços, pede-se para que estes sejam em tecidos mais leves. A caixa de recolhimento dos lenços também está disponível na recepção do HM.

 A cerimônia de abertura da Semana Alusiva ao Mês de Luta e Combate ao Câncer ocorreu no refeitório do Hospital Montenegro e contou com a presença dos colaboradores da casa de saúde, em sua maioria, composta pelo público feminino. A atividade marca o início das ações propostas para ocorrerem até o final desta semana.


 Conforme a analista de treinamentos da instituição de saúde, Sílvia Neu, o objetivo das ações é levar informação e conscientizar os colaboradores quanto à importância da prevenção a este tipo de câncer. Em sua fala, Sílvia mostrou dados estatísticos sobre a doença e divulgou as atividades propostas para os próximos dias.

 

 Na terça-feira,17, será realizada palestra do IMAMA/RS. Na ocasião uma voluntária do instituto dará seu relato de como superou o câncer.

 

 No dia 19 o assunto principal será a prevenção. Quem aborda o tema é o médico ginecologista e mastologista Túlio Farret.

 O Presidente da Câmara de Vereadores, Neri de Mello Pena “Cabelo” (PTB) assumiu a cadeira do Palácio Rio Branco nas primeiras horas da manhã de segunda-feira (16). Cabelo responde como prefeito até quinta-feira (19), quando o titular Carlos Eduardo Müller (SD) “Kadu”, retorna de Brasília.


 O Decreto nº 7.451 – de 13 de outubro de 2017, delega competências ao presidente da Câmara de Vereadores do Município, durante o afastamento do prefeito no período de 16 a 19 de outubro.

 

 Em um ato simples, Kadu passou o comando da administração. Acompanhado do Secretário de Gestão e Planejamento Rafael Riffel, o prefeito vai para Brasília na busca de não perder verbas que já foram sinalizadas. “Além da manutenção das verbas, iremos fazer contatos com vários Ministérios, deputados Federais e Senadores Gaúchos, vislumbrando emendas pensando no planejamento para 2018”, acrescenta.

 

 O vereador Cabelo disse que esse momento vai ficar para sua história, um homem humilde, que chega ao Palácio Rio Branco. Quanto aos dias como prefeito comentou que vai dar continuidade ao que já está sendo realizado. “O prefeito Kadu pode contar comigo que na sua volta não terá surpresas”, finaliza.

 

 Já na Câmara, quem assume como presidente é o vice-presidente, Erico Velten (PDT).

 

Texto:Foto:ACOM/Câmara de Vereadores de Montenegro

Segunda, 16 Outubro 2017 10:46

100 anos do Milagre do Sol realizado em Fátima

Escrito por

Um milagre que até hoje assombra a ciência


Milagre é um acontecimento sobrenatural, ou seja, acima do natural: ele contraria as leis da natureza e a ciência não consegue explicá-lo, por mais que os cientistas analisem, reanalisem e debatam. Há relatos de milagres em praticamente todas as religiões, e, ao longo do tempo, a ciência desmentiu muitos deles. Outros, porém, continuam inexplicáveis e assombrosos, como estes que foram listados pelo site Live Science – e é particularmente chamativo que todos eles são milagres cristãos e 6 deles envolvem Nossa Senhora!


O primeiro dos milagres listados pelo Live Science é este, ocorrido em 13 de outubro de 1917 em presença de nada menos que 70 mil pessoas, incluindo jornalistas: eles testemunharam o milagre que já tinha sido anunciado pelas três crianças a quem Nossa Senhora havia aparecido.


Ao meio-dia, depois de uma forte chuva que parou de repente, as nuvens se abriram diante dos olhos de todos e o sol surgiu no céu como um disco luminoso opaco, que girava em espiral e emitia luzes coloridas. O fenômeno durou cerca de 10 minutos e está na lista oficial de milagres reconhecidos pelo Vaticano.


Os céticos tentam atribuir o evento ao fenômeno atmosférico do parélio, mas sem provas e, principalmente, sem explicar como foi que as crianças o “previram”.


Aliás, este é um dos aspectos mais impressionantes deste milagre, embora todo ele seja impressionante: os milagres documentados ao longo da história aconteceram de modo inesperado, enquanto este constitui uma peculiaríssima exceção como grande milagre anunciado por Nossa Senhora com semanas de antecedência.


Nossa Senhora apareceu resplandecente aos pastorinhos de Fátima pela primeira vez no dia 13 de maio de 1917. As aparições continuaram nos sucessivos meses, sempre no dia 13, até o mês de outubro do mesmo ano.


Lúcia, Francisco e Jacinta eram os três pastorinhos que estavam brincando num lugar chamado Cova da Iria, em Fátima, Portugal. De repente, observaram dois clarões como de relâmpagos e em seguida viram, sobre a copa de uma pequena árvore chamada azinheira, uma Senhora de beleza incomparável. Era uma “Senhora vestida de branco, mais brilhante que o sol, irradiando luz mais clara e intensa que um copo de cristal cheio de água cristalina, atravessado pelos raios do sol mais ardente“.


Sua face, indescritivelmente bela, não era nem alegre e nem triste, mas séria, com ar de suave alerta. As mãos juntas, como rezando, apoiadas no peito, e voltadas para cima. Da sua mão direita pendia um rosário. As vestes pareciam feitas somente de luz. A túnica e o manto eram brancos com bordas douradas, que cobria a cabeça da Virgem Maria e lhe descia até os pés. Lúcia jamais conseguiu descrever perfeitamente os traços dessa fisionomia tão brilhante.


Com voz maternal e suave, Nossa Senhora tranquilizou as três crianças, dizendo:


“Não tenhais medo. Eu não vos farei mal. Vim para pedir que venhais aqui seis meses seguidos, sempre no dia 13, a esta mesma hora. Depois vos direi quem sou e o que quero. Em seguida, voltarei aqui ainda uma sétima vez”.


Ao pronunciar estas palavras, Nossa Senhora abriu as mãos, e delas saía uma intensa luz. Os pastorinhos sentiram um impulso que os fez cair de joelhos e rezaram em silêncio a oração que o Anjo havia lhes ensinado:


“Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, adoro-vos profundamente e ofereço-vos o preciosíssimo Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo, presente em todos os sacrários da terra, em reparação dos ultrajes, sacrilégios e indiferenças com que Ele mesmo é ofendido. E pelos méritos infinitos do Seu Santíssimo Coração e do Coração Imaculado de Maria, peço-Vos a conversão dos pobres pecadores”.


Passados uns momentos, Nossa Senhora acrescentou:


“Rezem o Terço todos os dias, para alcançarem a paz para o mundo e o fim da guerra”.


13 de outubro: finalmente, vem o milagre do sol!


Na aparição do dia 13 de setembro, Nossa Senhora havia anunciado aos três pastorinhos de Fátima:


“Em outubro farei o milagre, para que todos acreditem”.


O “Milagre do Sol”, como ficou conhecido esse impressionante evento sobrenatural testemunhado por 70.000 pessoas, transformou o que era uma mera “revelação privada” em um autêntico apelo de Cristo à Sua Igreja. Não só o conteúdo da mensagem de Fátima dizia respeito à Igreja do mundo inteiro como a sua própria comprovação se deu publicamente, de maneira extraordinária: no dia 13 de outubro de 1917, “o sol dançou” diante de mais de 70.000 homens e mulheres, pobres e abastados, sábios e ignorantes, crentes e descrentes.


É bem conhecido o depoimento do Dr. José Maria de Almeida Garrett, eminente professor de ciências de Coimbra, sobre o que aconteceu naquele dia:


“…[O sol] girou sobre si mesmo num rodopio louco (…) Houve também mudanças de cor na atmosfera (…) O sol, girando loucamente, parecia de repente soltar-se do firmamento e, vermelho como o sangue, avançar ameaçadoramente sobre a terra como se fosse para nos esmagar com o seu peso enorme e abrasador (…) Tenho que declarar que nunca, antes ou depois de 13 de outubro, observei semelhante fenômeno solar ou atmosférico”.(Aleteia)

Segunda, 16 Outubro 2017 10:22

Sarau com Grupos de Música da FUNDARTE

Escrito por

 Hoje dia 16 de outubro, segunda-feira, terá sarau com os Grupos de Música da FUNDARTE. A iniciativa integra a comunidade e familiares com os alunos e professores da FUNDARTE, além de ser uma oportunidade de mostrar o trabalho desenvolvido em sala de aula.


 O sarau inicia às 19h30 e será realizado no Teatro Therezinha Petry Cardona. A entrada é gratuita e as senhas já podem ser adquiridas na FUNDARTE. A classificação do evento é livre.

Mais informações:


FUNDARTE
Rua Capitão Porfírio, 2141 – Montenegro/RS
Telefone (51) 36321879

 

Texto/foto:Assessoria de eventos da Fundarte

Sexta, 13 Outubro 2017 20:05

IV Encontro de Antigos de Pareci Novo

Escrito por

 Neste Domingo dia 15 de outubro, se realizará o IV Encontro de Antigos de Pareci Novo (carros e motos), junto a Praça Central de Pareci Novo:

 

Confira algumas das atrações a partir das 9 horas:
Entrada Franca.

Bandas confirmadas:
Banda Rock de Quinta - de Pareci Novo;
Banda Hijos del Joey - da Feliz;
Banda Planeta Sul: de São Sebastião do Caí.

 

Carros e Motos em exposição:
Primeiros 200 inscritos ganharão um copo e pôster personalizado;
Inscrições no local do evento;
Serão permitidas as entradas de veículos com mais de 25 anos rodados para exposição.
Estão confirmados carros da época dos anos 1920 até importados dos EUA e Europa;
Outros veículos terão estacionamento em ruas ao lado do evento.

 

Outras atrações:
Diversos expositores de miniaturas de carros e motos, artigos e peças de carros, chaveiros, etc...
Tudo para diversos públicos, desde crianças até adultos.

 

Diferenciais para pais e filhos:
Ampla área com brinquedos na praça municipal.
Feira de adoção e arrecadação de ração para cachorros abandonados;

 

Praça de alimentação:
Lanches, chopp artesanal e bebidas em geral.

Feira do Artesanato e Agroindústria Familiar
Diversidade de produção de artesãos e agricultores locais.
Comércio de flores, plantas e frutas.

 

Estádio Municipal (Futebol):
Jogos do Gauchão das 9 às 13 horas
Categorias de Base (2003/2004/2005/2006) entre Fera X Ivoti
Entrada Franca

 

Fonte:Holic Comunicação

Sexta, 13 Outubro 2017 19:56

1ª Caminhada no Caminho do Coração

Escrito por

 O local de saída é a Dcor Antúrios que fica na BR 470 km 281, localizada a 8 km de Montenegro na direção de Salvador do Sul. Para participar da caminhada não tem custo de inscrição, somente se quiser adquirir bebidas e comidas pelo caminho e as duas opções de almoço no final da caminhada que deve ser reservado antecipadamente.


Galinhada no Salão Santa Cecília (São José do Sul)– (51) 996 745 759

Churrasco, galeto e galinhada na Comunidade do Coqueiral (Pareci Novo)– (51) 980 297 517

 

O itinerário possui belíssimas paisagens em meio a natureza, túneis verdes, pomares de frutas cítricas e canteiros de flores.

Durante a caminhada terão algumas programações especiais, surpresas e dois pontos de parada no município de Pareci Novo:

1º - IGREJA DO COQUEIRAL – a comunidade estará em festa neste dia com churrasco, bandinha típica alemã, cuca, água, geléias e spitz bier a disposição dos participantes;

2º - SÍTIO DAS ACÁCIAS – agroindústrias familiares da localidade estarão aguardando caminhantes com suas geléias, sucos e barrinhas de cereais da Hart’s Naturais de Pareci Novo.

 

Chegada com opção de bebidas e lanches no ponto de saída / chegada, onde haverá uma feira das 9 às 13 horas, com produtos agroecológicos, flores e artesanato de São José do Sul.

E sucos e geleias orgânicos, flores e frutas, cricris de cascas de frutas, licores de pétalas de rosa de ibisco, cucas, saladas de frutas, spitz bier e chopp artesanal Abadessa de Pareci Novo.

 

A 1ª. Caminhada ocorre no Circuito Turístico Caminho do Coração, e faz parte do Anda Brasil, um movimento de Caminhantes Nacional filiado ao IVV Associação Internacional de Esportes Populares com mais de 150.000 caminhantes inscritos no Brasil.

 

A proposta da Caminhada foi de divulgar este Circuito Turístico INTERMUNICIPAL do Caminho do Coração, incrementar o Calendário de eventos, integrar os municípios de São José do Sul e Pareci Novo e criar nos produtores e empreendedores rurais a nova possibilidade de renda e divulgação dos seus produtos.

 

O evento tem apoio das prefeituras de Pareci Novo e São José do Sul , Vale da Felicidade, Emater, KAS Consultoria, Anda Brasil, Ecobooking Ibia Hotel, Cancha Família Kleinubing, Cervejaria Abadessa, Dcor Antúrios, Sitio das Acácias, Hart´s Natural, Nedel Citricos, Novo Citrus, e Floreplanta.

 

Informações www.facebook.com/circuitoturisticocaminhodocoracao
Inscrições: http://www.ecobooking.com.br/eventos/inscricaoEVS1.php?InsVS1=cfdbxbj3ftxl8gmtfnjlt98c0x46za

 

Data: 22/10/2017
Horário de saída: 9h

 

Fonte: Holic Comunicação

 A Brigada Militar de Montenegro quer a intervenção do Ministério Público para acabar com a demora nos atendimentos aos presos que precisam de laudo médico para serem encaminhados ao sistema prisional. A BM justifica que trata-se de uma avaliação rápida, mas que o tempo de espera para obter o documento leva em média de 2h à 3h.


 Conforme o Subcomandante do 5º Batalhão da Polícia Militar de Montenegro, Cap. Oscar Bessi Filho, no domingo, 8, um preso capturado chegou ao hospital às 16h40min. Às 19h15min, hora do último contato com a reportagem, o atendimento ainda não havia sido prestado.


 O problema, conforme o Capitão, é que nesse período a BM acaba tendo redução no número de policiais nas ruas. Uma viatura fica exclusivamente no hospital aguardando a liberação do laudo médico para fazer a condução do preso até a delegacia de polícia.

 

 Situações de demora como a ocorrida no domingo são frequentes, afirma o subcomandante. Nos dias 27 e 28 de setembro, por exemplo, também foram registrados casos semelhantes. Bessi afirma que isso já está sendo considero como rotina. “Já estamos cansados de nossa única patrulha ficar lá às vezes 3 a 4 horas esperando”, comenta.

 

 O Diretor do Hospital Montenegro, Carlos Batista da Silveira, relata que a instituição faz o possível para que o atendimento à polícia seja realizado de forma rápida. Contudo, segundo ele, a casa de Saúde prioriza o atendimento aos casos de emergência e urgência.


 Carlos afirma que no último domingo havia dois pacientes em estado grave sendo atendidos na sala vermelha, onde são acolhidas as emergências, e três enfermos na amarela, local de urgências. Sendo assim, a prioridade é desses casos, afirma o gestor.


 Batista diz ainda que é comum a chegada de viaturas da polícia e ambulâncias da Samu juntas ao hospital, o que acaba fazendo com que os policiais tenham de aguardar um pouco mais pelo atendimento.

 O sinal analógico de televisão, na região metropolitana, encerra sua transmissão em janeiro de 2018. Com a medida, Montenegro passará a contar apenas com o sinal digital.
Pensando na população de baixa renda, o Governo Federal está disponibilizando a antena digital gratuitamente a esse público. Contudo, é necessário que haja cadastro nos programas sociais do Governo Federal para ter direito a receber o kit gratuito, nas agências dos Correios. O Kit é composto por cabos, conversor e antena.


 A Coordenadora do CRAS (Centro de Referência em Assistência Social), Mônica Müller, orienta que para retirar os kits é necessário agendamento prévio e ter em mãos o NIS (Número de Identificação Social) ou CPF. Os agendamentos são realizados no CRAS, pelo número 147 ou pelo site: www.sejadigital.com.br/kit.

 

 Posteriormente, a retirada dos kits é feita nas agências dos Correios, mediante apresentação de documentos com foto e o NIS. No local, também, durante a retirada é realizada uma aula de instalação.

 

Foto/informações: ACOM

 Começa amanhã,11, e segue até o próximo domingo,15, a 14ª edição da Oktoberfest de Maratá. Na cidade, já está tudo pronto para receber os visitantes, shopp gelado e animação são os principais ingredientes do evento, garantem os organizadores.


 A rainha da festa. Larissa Margarete Grub, e as princesas Deisi Clodini Braun e Gabriela Schneider convidam os moradores das cidades vizinhas a prestigiar o tradicional evento. Além da bebida tipicamente germânica, as atrações musicais prometem atrair grande público ao Parque da Oktoberfest de Maratá.

 

 Entre as atrações, no dia 14 tem show nacional com a dupla Zé Neto & Cristiano, além de outras apresentações, como por exemplo, da Banda Fritz 4. No último dia de festam tem show de Serginho Moah e Banda. A programação completa da Oktoberfest de Maratá está disponível no Facebook do evento: https://www.facebook.com/oktoberfestdemarata/

 

Foto:Divulgação

 Está marcado para o dia 28, o espetáculo de patinação “Viva”, realizado pela Cia de Patinação Artística Gyru's em parceria com o Clube Riograndense. O evento será realizado na sede social do clube, a partir das 20 h. A Gyru”s tem atuado em várias cidades do Vale do Caí.


 O espetáculo contará com a participação dos alunos do clube e convidados dos municípios de Vale Real, Harmonia e São Sebastião do Caí. Segundo o professor Fernando Pohl, serão 80 minutos de apresentações do trabalho realizado com os patinadores do município.

 

 A entrada tem custo único R$15,00 e pode ser adquirida com os Patinadores ou no local. “Contamos com a presença de toda comunidade montenegrina em uma noite de pura magia e descontração sobre rodas”, diz o professor de patinação.

 

 Outras informações sobre o espetáculo podem ser fornecidas pelo fone 51- 9 97282288”.

 

Foto:Divulgação

 No dia 17, Montenegro recebe o premiado espetáculo “Hamlet - Processo de Revelação”, do Coletivo Irmãos Guimarães, de Brasília (DF). A encenação encerra as apresentações da 20ª edição Circuito Nacional Palco Giratório Sesc 2017 na cidade.


 Com apoio da Fundarte, a peça será apresentada no Teatro Therezinha Petry Cardona, na Rua Capitão Porfirio, 2141, às 20h. Os ingressos, mediante doação espontânea de 1kg de alimento não-perecível, devem ser retirados antecipadamente no Sesc Montenegro, na Rua Capitão Porfírio, 2205, ou no local no dia do espetáculo, mediante disponibilidade. Escolas e grupos também podem realizar agendamento pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 51-3649-3403, no site www.sesc-rs.com.br/montenegro e www.facebook.com/sescmontenegro.

 

 Segundo a sinopse, a peça propõe uma adaptação radical: um ator em cena, o próprio dramaturgo, Emanuel Aragão, que tenta reconstruir a narrativa de Shakespeare em um diálogo direto e aberto com a plateia. Utilizando dispositivos geradores de materialização de presença, em diálogo direto com a performance art, recurso muito presente na trajetória do Coletivo Irmãos Guimarães, o espetáculo busca a concretização cênica do percurso trágico da personagem de Shakespeare. Ou seja, uma junção, in loco da dimensão do performer à dimensão da personagem presente na fábula. No palco, a busca pela resposta à uma pergunta fundamental: é possível que, na cena, o ator/performer atravesse, de fato, a trajetória da personagem? “Hamlet - Processo de Revelação” tem classificação etária de 12 anos e duração mínima de 120 minutos, podendo se alongar por mais tempo.

Vinte agricultores indianos morreram e centenas tiveram que ser hospitalizados por terem inalado um pesticida muito tóxico pulverizado em suas culturas, informaram autoridades locais, ressaltando a falta de medidas de segurança nesta área do país.


Esses agricultores do estado de Maharashtra, uma das regiões agrícolas mais importantes da Índia, morreram após a aplicação do pesticida sem o uso de equipamento de proteção apropriado.


“Vinte agricultores estão mortos e centenas estão recebendo tratamento médico. Cerca de 50 deles estão em estado crítico”, declarou Kishore Tewari, porta-voz de um grupo destacado pelo governo estadual para ajudar os agricultores.


A primeira morte foi registrada em agosto, e o número aumentou em setembro, de acordo com fontes locais.


Ativistas denunciam a falta de regulamentação do uso de pesticidas e as deficiências em fornecer aos agricultores equipamentos de proteção adequados.
(AFP)(Aleteia)

O êxodo dos rohingyas de Mianmar ultrapassou, nesta quinta-feira (28/9), o número simbólico de 500 mil refugiados em Bangladesh desde o final de agosto, segundo a ONU, que não conseguiu acessar a zona como estava previsto.


Pela primeira vez desde o início da nova onda de violência, representantes das Nações Unidas visitariam hoje o estado birmanês de Rahhine (oeste), o mais afetado pela crise. No último minuto, o governo adiou essa visita, porém, evocando oficialmente o mau tempo na região.


O secretário-geral da ONU, António Guterres, pediu novamente nesta quinta a Mianmar um “cessar das operações militares” no oeste do país e “um acesso sem obstáculos para a ajuda humanitária”, especialmente dirigida à minoria rohinya.


Durante um comparecimento no Conselho de Segurança, reunido em uma sessão pública pouco habitual sobre Minamar, Guterres pediu também ao governo birmanês “assegurar o retorno em segurança, voluntário, digno e duradouro” a suas regiões de origem dos refugiados que fugiram para Bangladesh.


“A realidade no terreno pede uma ação – uma ação rápida – para proteger as pessoas, atenuar o sofrimento, impedir mais instabilidade, ocupar-se das raízes do problema e assegurar uma solução duradoura”, informou o secretário-geral das Nações Unidas.


A situação se tornou “um pesadelo humanitário e no âmbito dos direitos humanos”, destacou.


Em alusão a testemunhos que dão conta de um “recurso excessivo à violência e sérias violações dos direitos humanos”, “disparos a ermo”, uso “de minas” e “violências sexuais”, o chefe da ONU destacou que isso é “inaceitável” e deve “parar imediatamente”.


Enquanto isso, Bangladesh testemunhava uma nova tragédia migratória.


Uma embarcação com refugiados que zarpou na noite de quarta-feira (27/9) de uma aldeia costeira de Rakhine naufragou perto de chegar à margem. Quinze corpos foram encontrados, principalmente de mulheres e crianças.


“Eles afundaram sob nossos olhos e, alguns minutos depois, as ondas trouxeram os corpos até a praia”, relata Mohammad Sohel, um comerciante.


Sobrevivente do naufrágio, Nurus Salam estava aos prantos, depois de perder sua mulher e um filho.


“O barco atingiu algo quando se aproximava da praia e, então, ele virou”, conta, em estado de choque, a um repórter da AFP.


– Guerra de informação –


Minoria muçulmana do oeste de Mianmar, os rohingyas fogem de uma campanha de repressão conduzida pelo Exército birmanês após ataques de jovens rebeldes desse grupo, em 25 de agosto passado.


A ONU considera que o Exército birmanês e as milícias budistas conduzem uma limpeza étnica contra esta comunidade no estado de Rakhine.


O êxodo dos rohingyas para Bangladesh, uma nação pobre do sul da Ásia de maioria muçulmana, paralisou o país.


Nos gigantescos campos de refugiados ao longo da fronteira, as autoridades e as ONGs estão sobrecarregadas pela maré humana e se preocupam cada vez mais com os riscos para a saúde. As condições atuais são propícias para o aparecimento de surtos de cólera, disenteria, ou diarreia.


Em Rakhine, do lado birmanês, dezenas de aldeias foram reduzidas a cinzas, e milhares de rohingyas estariam deslocados, ou escondidos nas florestas, sobrevivendo com pouca comida e sem ajuda médica.


Alvo de críticas, Mianmar denuncia um viés pró-Rohingya da comunidade internacional e destaca os quase 30.000 budistas e hindus que também foram deslocados desde o final de agosto, em razão da crise.


Com grande dificuldade, a líder birmanesa, Aung San Suu Kyi, tenta preservar um equilíbrio frágil com um Exército muito poderoso. Em discurso na semana passada, a Prêmio Nobel da Paz garantiu estar aberta a um retorno dos refugiados, mas de acordo com critérios que permanecem ambíguos.


Maior população apátrida do mundo, os rohingyas são tratados como estrangeiros em Mianmar, um país mais de 90% budista. Vítimas de discriminação, não podem viajar, nem se casar sem autorização. E não têm acesso ao mercado de trabalho, ou a serviços públicos, como escolas e hospitais.


Os recém-chegados em Bangladesh se somam aos 300 mil refugiados rohingyas que já haviam buscado abrigo no país em outros episódios de violência e perseguição.


Reconhecendo suas limitações diante dessa crise humanitária, Daca relaxou suas restrições às ONGs e autorizou 13 organizações nacionais e internacionais a atuarem nos acampamentos por uma janela máxima de dois meses. (AFP)(Aleteia)

Segunda, 09 Outubro 2017 18:40

Papa: arrependimento, chave para superar a hipocrisia

Escrito por

A palavra-chave para “superar a hipocrisia, a duplicidade de vida, o clericalismo que acompanha o legalismo” é o arrependimento, “que permite não enrijecer-se, de transformar os “nãos” a Deus em “sim”, e os “sim” ao pecado em “não” por amor do Senhor”.


Com a celebração eucarística no Estádio de Ara, em Bolonha, o Papa concluiu sua visita pastoral iniciada na manhã deste domingo, recordando que a Palavra de Deus, que é uma Palavra viva, “penetra a alma e traz à luz os segredos e as contradições do coração” e que nunca devemos esquecer os alimentos-base que sustentam o nosso caminho: “a Palavra, o Pão, os pobres”.


Francisco desenvolveu a sua homilia inspirando-se na parábola dos filhos que, ao pedido de seu pai para irem a sua vinha, um responde não, mas depois vai, enquanto o segundo diz sim, mas não vai.


“Existe uma grande diferença – observou o Papa – entre o primeiro filho, que é preguiçoso, e o segundo, que é hipócrita”. No coração do primeiro, “ainda ressoava o convite do pai”, enquanto no do segundo, “não obstante o sim, a voz do pai estava sepultada”:


“A recordação do pai despertou o primeiro filho da preguiça, enquanto o segundo, mesmo conhecendo o bem, negou o dizer com o fazer. De fato, tornou-se impermeável à voz de Deus e da consciência e assim havia abraçado sem problemas a duplicidade de vida”.


Pecadores em caminho ou pecadores sentados


Com esta parábola – explica o Papa – Jesus coloca dois caminhos diante de nós, “que nem sempre estamos prontos para dizer sim com as palavras e as obras, porque somos pecadores”:


“Mas podemos escolher ser pecadores em caminho, que permanecem na escuta do Senhor e quando caem se arrependem e se reerguem, como o primeiro filho; ou pecadores sentados, prontos a justificar-se sempre e somente em palavras, segundo o que convém”.


Chefes religiosos da época se assemelhavam ao filho de vida dupla


Jesus dirige esta parábola – explicou Francisco – a alguns chefes religiosos da época “que se assemelhavam ao filho de vida dupla, enquanto as pessoas comuns se comportavam frequentemente como o outro filho”:


“Estes chefes sabiam e explicavam tudo, em modo formalmente irrepreensível, como verdadeiros intelectuais da religião. Mas não tinham a humildade de escutar, a coragem de interrogar-se, a força de arrepender-se”.


E Jesus os repreende de forma severa, dizendo que até mesmo os publicanos – que eram corruptos traidores da pátria – os precederiam no reino de Deus.
O problema destes chefes religiosos – observa o Papa – é que erravam no modo de viver e pensar diante de Deus:


“Eram, em palavras e com os outros, inflexíveis custódios das tradições humanas, incapazes de compreender que a vida segundo Deus é ‘em caminho’, que pede a humildade de abrir-se, arrepender-se e recomeçar”.


Superar a hipocrisia, a duplicidade de vida, o clericalismo que acompanha o legalismo


Isto nos ensina – ressaltou o Pontífice – que não existe uma vida cristã decidida numa conversa ao redor duma mesa, “cientificamente construída, onde basta cumprir alguns ditames para aquietar a consciência”:


“A vida cristã é um caminho humilde de uma consciência nunca rígida e sempre em relação com Deus, que sabe arrepender-se e entregar-se a Ele nas suas pobrezas, sem nunca presumir bastar-se a si mesma. Assim, são superadas as edições revistas e atualizadas daquele antigo mal, denunciado por Jesus na parábola: a hipocrisia, a duplicidade de vida, o clericalismo que acompanha o legalismo, a separação das pessoas”.


Arrependimento


Neste sentido, disse o Papa, a palavra-chave é “arrepender-se”:


“É o arrependimento que permite não enrijecer-se, de transformar os “nãos” a Deus em “sim”, e os “sim” ao pecado, em “não”, por amor ao Senhor. A vontade do Pai, que a cada dia delicadamente fala à nossa consciência, se realiza somente na forma de arrependimento e da conversão contínua. Definitivamente no caminho de cada um existem duas estradas: ser pecadores arrependidos ou pecadores hipócritas”.


Puros de coração e não puros por fora


O que realmente conta – afirma Francisco, “não são os raciocínios que justificam e tentam salvar as aparências, mas um coração que avança com o Senhor, luta a cada dia, se arrepende e retorna para Ele. Porque o Senhor busca puros de coração, não puros “por fora’”.


Relação entre pais e filhos


A parábola é atual e diz respeito também às relações, “nem sempre fáceis, entre pais e filhos”:


“Hoje, na velocidade das transformações uma geração e outra, se constata mais forte a necessidade de autonomia do passado, às vezes até mesmo com a rebelião. Mas após os fechamentos e os longos silêncios de um lado ou de outro, é bom recuperar o encontro, mesmo se ainda habitado por conflitos, que podem tornar-se um estímulo de um novo equilíbrio”.


Assim como na família – completa o Santo Padre – “também na Igreja e na sociedade nunca se deve renunciar ao encontro, ao diálogo, em buscar novas vias para caminhar juntos”.


Três “Pês”: Palavra, Pão, pobres


Para concluir sua visita pastoral, o Papa quis deixar três pontos de referência, três “P” sobre como ir em frente no caminho da Igreja: a Palavra, o Pão, os pobres.
A Palavra – explicou – “é a bússola para caminhar humildes, para não perder a estrada de Deus e cair na mundanidade”.


A segunda é o Pão, “o Pão Eucarístico, porque tudo começa a partir da Eucaristia. É na Eucaristia que se encontra a Igreja: não nas conversas e nas crônicas, mas aqui, no Corpo de Cristo partilhado por pessoas pecadoras e necessitadas, que porém se sentem amadas e então desejam amar (…). Este é o início irrenunciável do nosso ser Igreja”.


Por fim, o terceiro “P”, os pobres:


“Ainda hoje, infelizmente, para tantas pessoas falta o necessário. Mas existem também tantos pobres de afeto, pessoas sozinhas, os pobres de Deus. Em todos eles encontramos Jesus, porque Jesus no mundo seguiu o caminho da pobreza, do aniquilamento”.


“Da Eucaristia aos pobres vamos encontrar Jesus”, disse Francisco, que recordou as palavras que o Cardeal Lecaro amava ver escritas no altar: “Se partilhamos o pão do céu, como não partilhar o terrestre?”.


E o Papa conclui, exortando-nos a pedir a graça de nunca esquecermos “estes alimentos-base, que sustentam o nosso caminho”: a Palavra, o Pão, os pobres.(Rádio Vaticano)

 Um homem chamou a atenção de policiais do 5º Batalhão da Brigada Militar de Montenegro ao tentar fugir quando viu a viatura da BM. O fato ocorreu no domingo, 8, na Travessa José Pedro Steigleder, no Bairro Cinco de Maio.


 O mesmo tentou fugir ingressando em um banhado, mas os policiais foram mais rápidos e conseguiram pegá-lo. Capturado pelos policiais, foi constatado que o homem era fugitivo do Instituto Penal de Montenegro. O indivíduo vulgo "ratinho" foi levado até o Hospital Montenegro para laudo e posteriormente encaminhado para a Delegacia de Pronto Atendimento de Montenegro.

 

 Já na manhã desta segunda-feira,9, a BM realizou nova captura de mais um procurado pela Justiça. Ao efetuar diligências, foi abordado um indivíduo com mandado de prisão em aberto.

 

 Segundo a polícia, o homem possui antecedentes por diversos crimes. O procurado segue para procedimento padrão de prisão.

 A Câmara de Vereadores de Montenegro aprovou o Projeto de Lei nº 013/17, do Vereador Juarez Vieira da Silva (PTB), que visa instituir a Semana Municipal de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. A semana deve ocorrer durante o mês de maio, na semana que antecede ao Dia Municipal de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, 18 de maio.


 Conforme o vereador , “o objetivo é promover palestras em salas de aula, eventos e atividades de cunho educacional e cultura, que terão por tema o combate à violência sexual contra crianças e adolescentes”. As discussões sobre o tema devem ter a participação de toda a sociedade e em especial de entidades que lidam com esse tipo de problema no cotidiano.


 A partir de dados estatísticos e debates, o vereador espera que surjam ideias para diminuir a ocorrência desse tipo de violência. A Semana também terá como proposta estimular a população a denunciar casos de abuso ou exploração de crianças e adolescentes.


 O projeto agora segue para sanção do prefeito municipal.

 

Foto: ACOM Câmara de Vereadores

Página 1 de 39