Back to Top
site 7132   hyhy
Quarta, 29 Março 2017 19:00

Escola luta para conseguir instalar ar condicionado

Escrito por
Avalie este item
(0 votos)

 Há pelo menos sete anos a comunidade escolar da E.M.E.I Adelino Edgar Rünenich (Tio Riba) sonha em equipar as salas de aula com aparelhos de ar condicionado. Conforme a Diretora do educandário, Vanessa Sarmento da Silveira, diversas ações já foram realizadas para angariar recursos, mas o dinheiro acabou sendo investido em outros materiais, pois uma questão pontual impede a instalação dos equipamentos de refrigeração: a rede elétrica do prédio.


 Em 2012 houve uma tentativa de ampliar a capacidade elétrica, mas diante da falta de informações sobre procedimentos a serem tomados, novamente o assunto acabou não sendo levado adiante. Recentemente, a direção da E.M.E.I solicitou apoio ao Executivo e Legislativo para tentar evoluir a questão.


 Uma reunião proposta pelo Vereador Cristiano Von Braatz abordou o caso. No encontro representantes da concessionária de energia, RGE Sul, e técnico do Departamento de Elétrica da Prefeitura esclareceram dúvidas sobre o procedimento.


 Na ocasião, Thiago Pedroso de Oliveira e Marcelo Flores Pereira da RGE explicaram que o primeiro passo é o encaminhamento, por parte da Prefeitura, do estudo técnico de capacidade, que irá apontar carga atual de consumo do local. Se a demanda registrada for superior a 75 kWh, será necessário construir uma subestação, nesse caso os custos deverão ser arcados pela Prefeitura. De forma voluntária, um dos integrantes do Circulo de Pais e Mestres (CPM), que é profissional da área de energia elétrica, fez todo o levantamento e um estudo que aponta a carga atual de 47 kWh. Com a previsão dos novos aparelhos de ar condicionado, e deixando ainda uma reserva técnica, chegará a 63 kWh, dispensando a necessidade de construção de subestação, o que praticamente seria um impedimento, em função do alto custo da obra, a qual também teria de ser custeada pela Prefeitura.


 O Chefe da Elétrica do Município, Felipe Machado fará uma nova conferência, acompanhado pelo pai que fez o estudo técnico de carga. Posteriormente, o Executivo deverá protocolá-lo na EGR Sul. Vencida esta etapa, a empresa deverá dar um retorno em trinta dias.


Segundo Marcelo Flores Pereira, a prefeitura precisaria solicitar este aumento de carga apontado nos estudos, de 63kwh, e a Concessionária deverá informar se consegue ou não atender, sem a necessidade de alguma obra na rede.


 Se tudo ocorrer como esperado, a direção da escola garante que adquirir os aparelhos será a etapa mais fácil do processo, tendo em vista a boa vontade dos pais dos alunos. De acordo com ela, alguns pais já se propuseram a doar alguns equipamentos. Diante das colocações feitas na reunião, e do prazo para andamento de todo o processo, Vanessa tem esperança de começar o ano letivo em 2018 com os aparelhos instalados.


 Até agora, a saída para amenizar o calor tem sido o uso de muitos ventiladores e água gelada.

Lido 2196 vezes Última modificação em Quarta, 29 Março 2017 19:11