Back to Top
site 7132   hyhy

Saúde

 Integrando as ações alusivas ao Outubro Rosa, mês dedicado à conscientização e prevenção do câncer de mana, o Grupo de Educação Continuada do Hospital Montenegro (Gecon) promove, até o dia 30 deste mês, duas campanhas: uma de doação de mechas de cabelos e outra de lenços. A campanha intitulada “Atitude Rosa” envolve toda a comunidade.


 No ano passado a iniciativa arrecadou 30 mechas de cabelos, 1 peruca e 135 lenços. O material foi doado ao Instituto da Mama do Rio Grande do Sul (IMAMA). As madeixas são transformadas em perucas destinadas ao empréstimo para as pacientes em tratamento de câncer.

 

 Conforme Sílvia Neu, analista de treinamentos do HM, este ano, novamente, todo o material arrecadado será entregue ao IMAMA. Quem quiser contribuir pode procurar um profissional cabelereiro de sua confiança, efetuar o corte e entregar a mecha na recepção do hospital. Segundo ela, para melhor ser aproveitado, o ideal é que o comprimento do cabelo tenha em média 20 cm, mas tamanhos menores também são aceitos.

 

 Já em relação aos lenços, pede-se para que estes sejam em tecidos mais leves. A caixa de recolhimento dos lenços também está disponível na recepção do HM.

 A cerimônia de abertura da Semana Alusiva ao Mês de Luta e Combate ao Câncer ocorreu no refeitório do Hospital Montenegro e contou com a presença dos colaboradores da casa de saúde, em sua maioria, composta pelo público feminino. A atividade marca o início das ações propostas para ocorrerem até o final desta semana.


 Conforme a analista de treinamentos da instituição de saúde, Sílvia Neu, o objetivo das ações é levar informação e conscientizar os colaboradores quanto à importância da prevenção a este tipo de câncer. Em sua fala, Sílvia mostrou dados estatísticos sobre a doença e divulgou as atividades propostas para os próximos dias.

 

 Na terça-feira,17, será realizada palestra do IMAMA/RS. Na ocasião uma voluntária do instituto dará seu relato de como superou o câncer.

 

 No dia 19 o assunto principal será a prevenção. Quem aborda o tema é o médico ginecologista e mastologista Túlio Farret.

 Nos dias 12, 13 e 14 de setembro, Montenegro terá atividades alusivas ao Setembro Amarelo. A programação, promovida pelo Núcleo Municipal de Educação em Saúde Coletiva (Numesc) em parceria com o Hospital Montenegro (HM), contará com palestra, roda de conversa e sessão de cinema.


 A programação inicia no dia 12 de setembro, das 13h às 16h, com uma sessão de cinema, no Cine Arte de Montenegro com entrada franca. Já no dia 13 de setembro, às 10h, acontecerá a palestra “Suicídio: Sinais de Prevenção”, com o psiquiatra do HM Ricardo Silveira. O evento acontece nas dependências do Hospital Montenegro e possui 50 vagas limitadas. Quem quiser se inscrever pode entrar em contato pelo e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

 

 Encerrando a programação, no dia 14 de setembro, das 10h às 11h30min, ocorre a roda de conversa “O suicídio e a importância da Rede de Saúde”. O evento será na Praça Rui Barbosa.

 

ACOM/Prefeitura de Montenegro

 A situação financeira do Hospital Montenegro está passando por novo abalo. Conforme o Diretor Administrativo da instituição, Carlos Batista da Silveira, os repasses do Governo do Estado referentes ao mês de maio ainda não foram efetuados à Casa de Saúde. Além disso, houve alteração no contrato e um corte de cerca de R$ 400mil mensais. O estado também se comprometeu a não cortar as metas mensais de atendimentos, mas continua fazendo, com isso, o HM deixa de receber R$200mil por mês. Conforme Carlos, há dois meses o hospital também não recebe pelos atendimentos de AVC.


 A Prefeitura também está em atraso com os valores repassados para o Pronto Atendimento, relata o diretor. De acordo com ele, já são mais 60 dias de espera pelos recursos, cerca de R$716mil.


 Carlos lembra que cada consulta remete a exames, internação ou até mesmo cirurgias que precisa de recurso. Diante das dificuldades, o gestor não descarta a possibilidade suspender atendimentos de especialidades. Ainda não há definição de quais áreas poderão sofrer suspenção de atendimentos, Silveira informa que ira esperar até o início do próximo mês para decidir o que fazer.

 

 A Prefeitura informa que o repasse do mês de maio será realizado no início de agosto. O pedido de pagamento do mês de junho ainda não chegou na Secretaria Municipal da Fazenda.. E o mês de julho ainda não encerrou.

 No Dia Estadual da Luta Contra o Câncer de Mama, comemorado ontem (18), o Grupo Amigas do Peito, da Unimed Vale do Caí realizou uma atividade especial. As participantes saíram da sede da Operadora, no centro de Montenegro e caminharam em direção à Casa do Produtor Rural, na Rua Osvaldo Aranha. No caminho, foram distribuídos panfletos contendo 10 dicas para se proteger do Câncer de Mama. O mesmo material também foi entregue aos pacientes internados no Hospital Unimed Vale do Caí (HUVC).

 

 De acordo com a psicóloga Maria Paulina Pölking, coordenadora do grupo, a atividade de ontem teve o objetivo de sensibilizar a comunidade sobre a data. “O Dia Estadual da Luta Contra o Câncer de Mama deve ser sempre lembrado”, afirmou. “A prevenção é muito importante”, garantiu.

 

 

 As reuniões das Amigas do Peito são abertas às mulheres que em algum momento de suas vidas tiveram o diagnóstico de câncer de mama. Os encontros são realizados no prédio administrativo (Operadora) da Unimed Vale do Caí, na Rua Osvaldo Aranha, 1315, sempre às terças-feiras, às 14 horas. Não é necessária inscrição prévia. Mais informações podem ser solicitadas através do telefone (51) 3632-0956.

 

Fonte: Marketing Unimed Vale do Caí 

Sexta, 30 Junho 2017 12:12

Atenção: Prefeitura informa

Escrito por

 Em virtude das manifestações e do bloqueio da BRB 386, no município de Nova Santa Rita, alguns serviços da SMS poderão ser prejudicados no atendimento a comunidade.
Informações: 3632.3102

ACOM/Prefeitura de Montenegro

 O Secretário Municipal de Saúde de Montenegro, Luís Azeredo, acompanhado pelas enfermeiras Carla de Oliveira, do Posto de Atendimento Médico do Centro (PAM), e Angelita Moraes, da Unidade Básica de Saúde do Bairro Santo Antônio, anunciou novidades na área da saúde do município.

 

 As alterações passam a valer já na segunda-feira, 26. No PAM passam a ser realizadas 30 consultas com clínico geral, até então, eram fornecidas 20 fichas para atendimento diário.O horário dos atendimentos também foi alterado, agora os pacientes passam a ser atendidos a partir das 8h da manhã.

 

 Nos postos de saúde de Santos Reis e Muda Boi, interior do município, haverá acréscimo de 3 fichas por dia. Outra mudança diz respeito ao horário de atendimento nesses locais, após ouvir as comunidades a secretaria de saúde optou em transferir as consultas para o turno da tarde. O motivo principal são as baixas temperaturas registradas nas manhãs. Os serviços começam a ser prestados às 13h30min.


 A Unidade Básica de Saúde do Bairro Santo Antônio irá dobrar o número de consultas, de 18 passando para 36. Um médico estará no local durante todo o horário de expediente do posto. Com essas mudanças, somadas aos atendimentos prestados na Unidade Básica Ampliada (UBA), da secretaria de saúde, estão sendo incrementadas 1396 consultas extras no município. O que para o secretário deve desafogar o Plantão 24h do Hospital Montenegro.

 A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Montenegro informa que, a partir da próxima semana, será disponibilizado o serviço de Unidade Básica Ampliada no setor. Dentre os benefícios dessa iniciativa está o horário estendido do atendimento médico. A medida aumenta a oferta de consultas no local.

 

 A mudança deve começar na segunda-feira, 5, e o atendimento irá até as 22h. Atualmente, o serviço vai até às 18h. De acordo com o secretário municipal de Saúde, Luis Azeredo, no total, serão, em média, 50 consultas diárias.

 

 Outra notícia divulgada pelo secretário é que a distribuição de fraldas, às pessoas cadastradas, está regularizada no setor. Nesta semana, a equipe da SMS distribuiu a primeira remessa referente ao mês de maio. Por volta do dia 15, a Secretaria de Saúde realizará as entregas referentes ao mês de junho.A distribuição sempre é feita para familiares de pacientes cadastrados na SMS. As compras são realizadas com recursos oriundos do Estado.

 

 A Secretaria Municipal de Saúde de Montenegro está localizada na rua Campos Neto, 177, bairro Senai. Informações podem ser solicitadas através do telefone (51) 3632-3102.

 A Vigilância Epidemiológica de Montenegro recebeu a notificação da Escola Januário Correa no dia 26 de maio de 2017 de casos em crianças (estudantes) que estavam apresentando manchas vermelhas no corpo, coceira e descamação desde o dia 15 de maio de 2017 (data do 1º caso). Desde então a Vigilância iniciou a investigação junto à escola sobre possíveis causas externas (dedetização recente, corte de grama com uso de algum produto químico, pintura na escola, etc.) e também averiguando a situação vacinal destas crianças (todas em dia com suas carteirinhas de vacinação). Até este momento eram 24 crianças com sintomas.

 

 Foi realizado coleta de material biológico de algumas crianças a partir do dia 26-05-2017(sangue, fezes, secreção nasofaríngea) e enviado ao LACEN de POA. Neste dia a Secretaria de Educação do Estado determinou a suspensão das aulas até o dia 30-05-2017. De acordo com o protocolo do CEVS, neste caso, não é indicativo de suspender as aulas, mas sim continuação dos cuidados básicos de higiene no local, ambientes arejados, lavagem de mãos frequentes, afastamento das crianças com sintomas por períodos variados, dependendo da doença (Nota Técnica VISA de 01/2012 – DIRETRIZES PARA PREVENÇÃO DAS DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS COM ÊNFASE NO ÂMBITO ESCOLAR).

 

 No dia 31 de maio de 2017 a Vigilância Epidemiológica recebeu o primeiro resultado do LACEN, identificado o agente PARVOVÍRUS B19.Vírus de transmissão respiratória, altamente contagiante, através de gotículas respiratórias. Sintomas principais são: manchas avermelhadas pelo corpo, coceira, descamação, inicialmente na face, pescoço braços com irradiação para o corpo (segue anexo com informações sobre PARVOVÍRUS B 19). Este vírus circula no RS.

 

 Diante deste resultado salientamos a importância de manter os cuidados de prevenção já citados, tendo em vista que neste caso são as únicas maneiras de conter a disseminação da doença já instalada. Não é uma doença imunoprevenível (não há vacina) e nem tem medicamento específico para tratamento, trata-se os sintomas.

 

 ERITEMA INFECCIOSO (Parvovírus B19)

 

 O eritema infeccioso é uma doença exantemática (manchas avermelhadas na pele), contagiosa e provocada por um vírus chamado Parvovírus B19 (PV B19). Esta virose acomete preferencialmente as crianças em idade escolar, mas pode também atingir a população adulta.

 

 INCUBAÇÃO: o período de incubação varia de 4 a 14 dias desde a infecção até o início dos sintomas inespecíficos, mas foram relatados casos até 21 dias após a exposição.
TRANSMISSIBILIDADE: a transmissão ocorre através de contato com secreções do trato respiratório, exposição percutânea com produtos de sangue e transmissão vertical na gestação. Os pacientes são mais contagiosos nos dias que antecedem o exantema, podendo ainda estar assintomáticos (sem sintomas), até uma semana após. A infecção também pode ocorrer durante a gravidez trazendo danos ao feto e, por isso, a gestante deverá ser acompanhada por um médico.


 SINAIS E SINTOMAS: cerca de 20% das pessoas com infecção são assintomáticas. Entre os sintomáticos é comum a presença de coriza, cefaleia, mal-estar, raramente com febre ou com febre baixa (15 a 30% dos casos). O exantema característico acomete face, com “bochechas avermelhadas” como se fosse esbofeteada e palidez perioral (em volta da boca). Geralmente há prurido (coceira), acometendo tronco, braços, nádegas e coxas.


 TRATAMENTO: em geral, o eritema infeccioso é autolimitado e não requer tratamento específico. Não existe ainda uma vacina disponível licenciada para a prevenção da infecção. A orientação de isolamento é questionável, deve ser avaliada a condição geral do paciente (febre, mal-estar, etc.), pois o período de maior transmissibilidade ocorre antes de aparecerem os sintomas, após o exantema a transmissão é reduzida ou nula.

 

(Informações da Vigilância)

 

 A Vigilância Epidemiológica de Montenegro recebeu a notificação da Escola Januário Correa no dia 26 de maio de 2017 de casos em crianças (estudantes) que estavam apresentando manchas vermelhas no corpo, coceira e descamação desde o dia 15 de maio de 2017 (data do 1º caso). Desde então a Vigilância iniciou a investigação junto à escola sobre possíveis causas externas (dedetização recente, corte de grama com uso de algum produto químico, pintura na escola, etc.) e também averiguando a situação vacinal destas crianças (todas em dia com suas carteirinhas de vacinação). Até este momento eram 24 crianças com sintomas.

 

 Foi realizado coleta de material biológico de algumas crianças a partir do dia 26-05-2017(sangue, fezes, secreção nasofaríngea) e enviado ao LACEN de POA. Neste dia a Secretaria de Educação do Estado determinou a suspensão das aulas até o dia 30-05-2017. De acordo com o protocolo do CEVS, neste caso, não é indicativo de suspender as aulas, mas sim continuação dos cuidados básicos de higiene no local, ambientes arejados, lavagem de mãos frequentes, afastamento das crianças com sintomas por períodos variados, dependendo da doença (Nota Técnica VISA de 01/2012 – DIRETRIZES PARA PREVENÇÃO DAS DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS COM ÊNFASE NO ÂMBITO ESCOLAR).

 

 No dia 31 de maio de 2017 a Vigilância Epidemiológica recebeu o primeiro resultado do LACEN, identificado o agente PARVOVÍRUS B19.Vírus de transmissão respiratória, altamente contagiante, através de gotículas respiratórias. Sintomas principais são: manchas avermelhadas pelo corpo, coceira, descamação, inicialmente na face, pescoço braços com irradiação para o corpo (segue anexo com informações sobre PARVOVÍRUS B 19). Este vírus circula no RS.

 

 Diante deste resultado salientamos a importância de manter os cuidados de prevenção já citados, tendo em vista que neste caso são as únicas maneiras de conter a disseminação da doença já instalada. Não é uma doença imunoprevenível (não há vacina) e nem tem medicamento específico para tratamento, trata-se os sintomas.

 

 ERITEMA INFECCIOSO (Parvovírus B19)

 

 O eritema infeccioso é uma doença exantemática (manchas avermelhadas na pele), contagiosa e provocada por um vírus chamado Parvovírus B19 (PV B19). Esta virose acomete preferencialmente as crianças em idade escolar, mas pode também atingir a população adulta.

 

 INCUBAÇÃO: o período de incubação varia de 4 a 14 dias desde a infecção até o início dos sintomas inespecíficos, mas foram relatados casos até 21 dias após a exposição.
TRANSMISSIBILIDADE: a transmissão ocorre através de contato com secreções do trato respiratório, exposição percutânea com produtos de sangue e transmissão vertical na gestação. Os pacientes são mais contagiosos nos dias que antecedem o exantema, podendo ainda estar assintomáticos (sem sintomas), até uma semana após. A infecção também pode ocorrer durante a gravidez trazendo danos ao feto e, por isso, a gestante deverá ser acompanhada por um médico.


 SINAIS E SINTOMAS: cerca de 20% das pessoas com infecção são assintomáticas. Entre os sintomáticos é comum a presença de coriza, cefaleia, mal-estar, raramente com febre ou com febre baixa (15 a 30% dos casos). O exantema característico acomete face, com “bochechas avermelhadas” como se fosse esbofeteada e palidez perioral (em volta da boca). Geralmente há prurido (coceira), acometendo tronco, braços, nádegas e coxas.


 TRATAMENTO: em geral, o eritema infeccioso é autolimitado e não requer tratamento específico. Não existe ainda uma vacina disponível licenciada para a prevenção da infecção. A orientação de isolamento é questionável, deve ser avaliada a condição geral do paciente (febre, mal-estar, etc.), pois o período de maior transmissibilidade ocorre antes de aparecerem os sintomas, após o exantema a transmissão é reduzida ou nula.

 

(Informações da Vigilância)

 

Página 1 de 2